O que fazer em Florianópolis em 7 dias- roteiro para 4, 5 ou mais dias na Ilha da Magia (guia completo)

Por Josiane Bravo

O que fazer em Florianópolis em 1 semana (4, 5 ou mais dias)? Confira neste guia prático dicas para planejar seu roteiro em uma das cidades mais belas do Brasil. Dicas de passeios, praias para visitar, vilarejos históricos, trilhas para os mais aventureiros e muito mais neste roteiro caprichado.

Floripa, como é carinhosamente conhecida, conta com uma grande oferta de passeios para todos os gostos. São mais de 40 praias, além de opções de lugares como museus,  igrejas históricas e tours gastronômicos. 

Sobre Florianópolis

Ilha da Magia, assim ficou conhecida a capital do estado de Santa Catarina. E por que ganhou este título?

Florianópolis tem sua maior parte situada na ilha principal, além de pequenas ilhas e uma parte que fica no continente. Localizada no sul do estado, a ilha está entre um dos destinos mais famosos do Brasil, oferecendo aos seus visitantes uma infinidade de coisas para fazer e ver.

Por fim, além de abrigar regiões preservadas da mata atlântica, belíssimas praias e opções de lazer como trilhas, caminhadas pela orla da Lagoa da Conceição, também conta com bairros históricos e muito mais.

Só para ilustrar, Florianópolis está entre uma das melhores capitais brasileiras no quesito qualidade de vida. Tem uma beleza natural espetacular que a faz ganhar o título de Ilha da Magia.

Como chegar em Florianópolis?

De carro:

  • Foi assim que cheguei em Floripa, vindo de carro de São Paulo passando por Curitiba.

  • Como são mais de 9 horas de viagem de carro de SP-Florianópolis, optei em parar na capital do Paraná para passar uma noite. Dessa forma o trajeto ficou menos cansativo. Aliás, fica a dica de hospedagem, fiquei hospedada perto do aeroporto de Curitiba, em um hotel à beira da estrada, o Bourbon Dom Ricardo Aeroporto Curitiba Business Hotel. Café da manhã farto e um quarto muito aconchegante.  No dia seguinte, descansados, pegamos a estrada novamente e chegamos em Floripa já no final da tarde.

  • Apesar da estrada (BR-101) ter trechos bem sinuosos e ser perigosa por conta dos vários caminhoneiros que passam por ela todos os dias, achei bem sinalizada. Além disso, é rodeada por uma paisagem linda em vários trechos montanhosos da Serra do Mar.

Carro alugado:

  • Se chegar de ônibus ou de avião, para ter uma experiência com mais liberdade de locomoção, recomendo alugar um carro. Dessa forma fica mais fácil fazer os passeios por conta própria sem ficar dependendo de transporte público ou táxi.

Para alugar um bom carro, recomendo a empresa brasileira RentCars, que é parceira do blog. O site é uma plataforma de busca de locadoras de veículos. Sendo assim, depois de fazer a pesquisa por destino e comparar os valores, fica mais fácil escolher uma locadora e avaliar o melhor custo-benefício. E o bacana é que não é cobrado IOF e você pode pagar parcelado em até 12x.

 

De avião:

  • O aeroporto de Florianópolis é o Hercílio Luz (FLN), situado no sul da ilha. Portanto, as opções para sair do aeroporto são variadas, você pode pegar um uber, ônibus (veja aqui linhas e horários), ou até mesmo sair com um carro alugado.

De ônibus:

  • E uma forma econômica de chegar em Florianópolis é através de ônibus, que chegam através do Terminal Rodoviário Rita Maria.  

O que fazer em Florianópolis - roteiro de 7 dias - como chegar

Como se locomover pela ilha?

Sem dúvida a melhor maneira para se locomover na ilha é usando um carro (seja próprio ou alugado), dessa forma você vai ter mais liberdade para conhecer as atrações de acordo com seu tempo.

E já que o transporte público é mais limitado, quem for depender de ônibus por exemplo, tem que ficar de olho nos horários de funcionamento, além de pontos de paradas (o Google Maps ajuda). Vale destacar que os ônibus levam para quase todos os lugares da ilha, mas o ponto negativo é que você vai ficar sujeito a horários (que são restritos para algumas linhas). Sem contar os longos percursos dependendo do local.   

Sugestão de roteiro para até 7 dias em Florianópolis

Neste roteiro não inclui o dia de chegada nem de partida, o que somaria 9 dias. Eu cheguei já no fim da tarde em Florianópolis, então não deu para fazer muita coisa.

Roteiro resumido

  • Dia 1:  Praia da Daniela – Jurerê Internacional – pôr do sol em Santo Antônio de Lisboa
  • Dia 2:  Ilha do Campeche – Ribeirão da Ilha
  • Dia 3: Trilha Lagoinha do Leste– Bar do Arante – Pôr do sol na Praia Pântano do Sul
  • Dia 4: Praia + Dunas da Joaquina – centrinho da Lagoa da Conceição
  • Dia 5: Piscinas Naturais da Barra da Lagoa (trilha) – Mirante Ponto de Vista  
  • Dia 6: Centro histórico de Floripa –  Avenida Beira-Mar Norte – Ponte Hercílio Luz
  • Dia 7: Bate e volta Bombinhas

 

Só para exemplificar, o roteiro foi planejado de uma forma que cada dia eu pudesse conhecer uma parte da ilha como região sul em um dia, norte no outro e assim por diante. Dessa forma, fica mais fácil explorar Florianópolis sem ter que perder muito tempo indo de uma parte para a outra. Em resumo, a Ilha da Magia é composta por região norte, sul e leste. A parte leste fica basicamente no centro da ilha. 

Dica: uma boa opção é se hospedar na região central da ilha, em especial nos arredores da Lagoa da Conceição, que foi onde fiquei. Dessa forma fica mais fácil se locomover para o sul ou norte sem ter que ficar dirigindo por muito tempo ou até mesmo perder horas no trânsito que pode ser caótico dependendo do horário e época do ano (verão é tenso).

Quando você viajou? A minha viagem aconteceu no final do mês de novembro, um pouco antes da alta temporada do verão. Por isso a ilha estava bem tranquila e não tive muito problema com trânsito, com exceção de algumas estradas que estavam em obra.

Dia 1 – litoral norte 

Praia da Daniela

A Praia da Daniela não estava nos planos, mas por recomendação da proprietária do nosso chalé do Airbnb que alugamos, resolvemos conferir. E dica de morador local é preciosa, então nem pensamos duas vezes depois de ouvimos tão bem sobre o lugar.

Com o tempo um pouco nublado, ao chegar na praia a sensação foi de muita tranquilidade. Aliás, ela está entre uma das mais praias mais calmas de Florianópolis e favorita dos locais.

A Praia da Daniela conta com uma areia macia e uma vista bem bonita, além da água ser morna e com pouca onda. Vale a pena inclui-la no seu roteiro se estiver procurando por um lugar para relaxar e curtir o som do mar. E para quem vai com os pequenos, é uma das mais indicadas por ser tranquila e ter um mar raso.  

Vale ressaltar que a praia tem uma orla pequena e pouca infraestrutura para turistas. Mas nem por isso deixa de ser especial. Tem ambulantes que passam vendendo sorvetes, entre outras comidinhas.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro de viagem -Praia da Daniela
Praia da Daniela

Jurerê Internacional

E não muito longe da Praia da Daniela fica uma das praias mais badaladas de Florianópolis, conhecida por sua noite agitada. Jurerê Internacional, que atrai os mais jovens e é onde fica a região mais cara da ilha para morar, com mansões chiquérrimas no bairro. Em outras palavras, é o bairro mais luxuoso de Floripa. 

O que fazer em Florianópolis - Jurerê Internacional
Jurerê  – Beach Club da Pousada dos Sonhos

Antes de conhecer a praia, já no caminho a atração foi admirar as belas mansões (sonhar faz parte do passeio né?). 

Vale ressaltar que Jurerê é um bairro composto por duas partes, sendo Jurerê Internacional a parte conhecida como a mais badalada e luxuosa, onde ficam as enormes mansões.

A praia de Jurerê tem uma faixa de areia pequena e um mar calmo, bom para os pequenos. Além disso, tem como diferencial os famosos beach clubs, uma boa pedida para tomar um delicioso drink e curtir a vibe do lugar. Mas, adivinha? Os preços são altos.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - Jurerê Internacional

Jurerê Internacional

Santo Antônio de Lisboa + pôr do sol

Para terminar o dia com chave de ouro, a dica é ver o pôr do sol em um dos distritos mais antigos de Florianópolis, Santo Antônio de Lisboa. Dizem que é um dos melhores lugares da ilha para ver o entardecer. É lindo. 

E para aproveitar o passeio nessa vila de pescadores, recomendo chegar umas 2 horas antes do pôr do sol para ter tempo para tirar fotos das construções fotogênicas de arquitetura açoriana.

Só para ilustrar, é um bairro que conta com uma grande influência dos portugueses. Tem como principal atração o charme de uma vila colorida com estilo colonial, uma igreja fofa tanto por fora e por dentro (Igreja Nossa Senhora das Necessidades), além dos restaurantes que tem como diferencial decks que ficam de frente para o mar.

Que o bairro é um charme a gente já sabe, por isso para quem tem tempo e curte lugares históricos, o classifico como daqueles passeios imperdíveis. É possível conhece-lo a pé tranquilamente. Mas nem tudo são flores, a praia em si é poluída e imprópria para o banho.

LEIA MAIS: Santo Antônio de Lisboa: o charme do pitoresco bairro histórico em Florianópolis

Em resumo, Santo Antônio de Lisboa entrou para a lista de um dos lugares mais fofos que conheci na ilha. Além do centrinho histórico que é um charme, a gastronomia local também é outro destaque, pois é especializada em frutos do mar.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro - Santo Antônio de Lisboa - igreja

Dia 2 – sul da Ilha

Ilha do Campeche

Já com agendamento feito no dia anterior, o dia foi programado para conhecer um dos lugares mais lindos de Florianópolis, a preservada Ilha do Campeche.

A Ilha do Campeche fica no sul da ilha, que é onde se encontra as praias mais desertas de Florianópolis. É daqueles lugares imperdíveis que recomendo para qualquer um que visita Florianópolis. Mas para isso é necessário se planejar já que o passeio é concorrido

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro - Ilha do Campeche
Ilha do Campeche

Chegando na ilha, uma grande surpresa que não esperava encontrar. Fomos recebidos por um grupo de quatis fofos que só estavam de olho nas nossas bolsas. Quando digo um grupo, ressalvo que eram muitos e todos eles estavam metendo o terror nos turistas. Por exemplo, por descuido acabei perdendo um dos meus lanchinhos que foi roubado pela gangue.

LEIA TAMBÉMO que fazer em Arraial do Cabo no Rio de Janeiro (da série melhores praias do Brasil)

Em resumo, os quatis foram a nossa principal diversão na ilha. Para quem não curte animais, já adianto, vai pirar, pois de fofos mesmo só a aparência, pois são agressivos quando estão com fome. Mas por trás deste desespero tem um lado triste que vai ficar para um outro post.  

O que fazer em Florianópolis - roteiro - Ilha do Campeche - quatis

Ribeirão da Ilha

Ainda no sul da ilha, mesmo depois de um dia recheado de aventuras, queria muito conhecer outro bairro antigo de Floripa, que assim como Santo Antônio de Lisboa, também tem uma grande herança dos portugueses. As construções antigas de estilo colonial são o grande destaque desta visita.

Ribeirão da Ilha parece que parou no tempo de tão fofo. Cheguei lá já no final do dia, tudo estava fechado, mas nem por isso a visita deixou de ser especial. As casinhas, de arquitetura açoriana são um charme. E a pequena vila de pescadores ainda conta com uma linda igrejinha (Igreja de Nossa Senhora da Lapa).

O que fazer em Florianópolis - roteiro 7 dias - Ribeirão da Ilha
Igreja de Nossa Senhora da Lapa

Ribeirão da Ilha tem como principal atração seu centrinho histórico, além da fama do lugar onde encontrará as melhores ostras em Florianópolis

Para quem chegar cedo e ainda tem tempo, tem restaurantes renomados como o famoso Ostradamus, que fica em um pier e tem como destaque a vista para o mar. Em resumo, um excelente lugar para quem curte frutos do mar. Fica a dica para terminar o dia com estilo e ainda tem como bônus, ver o pôr do sol. 

Ribeirão da Ilha em Florianópolis
Casinha charmosa em Ribeirão da Ilha

Dia 3 – sul da ilha

Trilha e Praia da Lagoinha do Leste

Se você é do tipo aventureiro que curte uma boa conexão com a natureza, um dos passeios imperdíveis em Floripa para quem tem disposição, é fazer a trilha que leva até a isolada Praia da Lagoinha do Leste.

A Praia da Lagoinha do Leste é uma lindeza escondida, rodeada pela mata atlântica e conta com um mar bravo, perfeita para quem curte surfar. Mas a tarefa difícil é chegar até ela.

Para chegar até a Praia da Lagoinha você tem duas opções de trilhas, uma saindo da Praia do Matadeiro (a mais longa e difícil), e a outra saindo do Pântano do Sul. Essa última é mais rápida e a que optei em fazer, mas nem por isso deixa de exigir um bom preparo físico. Também tem a opção de ir de barco, mas só durante a alta temporada.

Vale destacar que na praia da Lagoinha do Leste não existe nenhuma estrutura para turista. Ou seja, não tem nem banheiros. Além disso, este é um passeio que exige o dia todo. Então a dica é se programar e levar comes e bebes para passar o dia de boa nessa praia linda e desértica.

O que fazer em Florianópolis - roteiro - trilha Lagoinha do Leste
Praia da Lagoinha do Leste vista do alto no mirante do Morro da Coroa

Praia do Pântano do Sul – Bar do Arante

O dia foi longo e cansativo depois de fazer a trilha da Praia da Lagoinha do Leste. Por outro lado, como deixamos nosso carro estacionado no Pântano do Sul, aproveitamos para conferir o famoso Bar do Arante, que já até virou uma atração turística em Floripa. 

O Bar do Arante é um tradicional restaurante pé na areia que fica na Praia do Pântano do Sul. O motivo da popularidade? Ele ficou conhecido pela sua decoração que tem como diferencial as paredes cobertas de papéis com mensagens escritas pelos clientes. De fato, uma forma bacana de deixar registrada a visita com recados carinhosos de pessoas de várias partes do Brasil, e de outros países.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro - Bar do Arante
Bar do Arante

Para resumir, é um passeio que recomendo caso esteja em Pântano do Sul, como foi o meu caso, já que o acesso a trilha da da Lagoinha do Leste fica lá. Mas ressalto que o serviço não tem nada de extraordinário.

O restaurante em si é simples e a comida também, estilo comidinhas caseiras. Aos sermos recebidos, logo depois ganhamos um copinho de cachaça de cortesia. No entanto, por conta da fama, os preços estão bem acima da média. Enfim, valeu a pena a visita tanto pela história do local e pela localização de frente para a praia que garante uma vista muito linda.  

Nesse meio tempo, aproveite para conferir o pôr do sol na Praia do Pântano do Sul. 

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro - por do sol Praia do Pântano do Sul
Pôr do sol na Praia do Pântano do Sul

Dia 4 –  litoral leste

Praia e Dunas da Joaquina

Praia da Joaquina, fica pertinho do centro da ilha e próximo à Lagoa da Conceição. A saber, é uma das praias mais famosas de Florianópolis que tem como uma das principais atrações as dunas que ficam ao seu redor. Além de linda, a praia tem boa infraestrutura, com restaurantes e bares bem pé na areia.

Com uma grande extensão de areia, em primeiro lugar a Praia da Joaquina é conhecida por conta das suas ondas e um dos melhores pontos para a prática do surf. Além disso, é muito convidativa para quem curte fazer caminhadas ao longo da faixa de areia.

Só para ilustrar, a parte mais charmosa da Praia da Joaquina fica do lado esquerdo, onde tem uma formação de pedras, conhecida como Ponta do Retiro.

Dunas + uma praia muito linda com areia branquinha é ou não é um combo perfeito para passar horas e horas relaxantes curtindo o visual? Não é à toa que está entre uma das praias mais frequentadas em Floripa. Só cuidado com a água, em dias de mar calmo, é até possível um tibum, mas ao contrário, só é indicada para os surfistas.

Praia da Joaquina em Florianópolis - roteiro de viagem

Lagoa da Conceição e pôr do sol

Como quis aproveitar a manhã no chalé onde estava hospedada, neste dia decidimos curtir mais a hora do café da manhã, sem pressa para sair. Então, passamos metade da tarde na Praia da Joaquina e depois no caminho de volta paramos no centrinho da Lagoa da Conceição, que fica pertinho.

Se você acordou cedo e tem mais tempo, é possível dedicar a manhã na Praia da Joaquina. Logo depois, na parte da tarde, se curte a ideia, são várias opções de atividades como esporte aquático na laguna (SUP), passeio de caiaque, pedalinho e até mesmo piquenique. Para os mais dispostos, fazer uma caminhada até a Costa da Lagoa. Gosta de vistas panorâmicas? Vale conferir o Mirante da Lagoa da Conceição.

Para exemplificar, a Lagoa da Conceição é um dos bairros mais famosos da ilha e um dos cartões postais de Florianópolis. No seu centrinho você vai encontrar bons restaurantes, bares (Books e Beers é uma boa pedida) e várias lojinhas descoladas. E por fim, para terminar o dia com chave de ouro, ver o pôr do sol.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - Lagoa da Conceição
Lagoa da Conceição

Dia 5 – litoral leste

Piscinas Naturais da Barra da Lagoa

Para quem curte caminhadas leves, indico fazer a trilha que leva até as piscinas naturais da Barra da Lagoa, que fica na região leste da ilha.

Como chegar às piscinas naturais da Barra da Lagoa?

Para chegar até às piscinas é preciso fazer uma trilha tranquila que inicia-se na Praia da Barra da Lagoa. Chegando na praia, procure a passarela que cruza o canal da Barra. Em seguida, é só atravessa-la e seguir as placas que indicam o caminho da trilha.

A trilha em si é bem fácil e leva em torno de 15-20 minutinhos. O trecho é composto de escadinhas com pedaços de madeira para facilitar, e ainda conta com corrimões. Além disso, é bem fotogênico e rodeado por uma bela paisagem verde. No final, chega-se a uma grande pedra e depois é só descer até as piscinas.

No dia que eu fui não tive muita sorte com o tempo, por conta disso tinha umas ondas um pouco agressivas e a visibilidade não estava tão boa já que o estava céu nublado. Além disso, mesmo sendo classificada como “piscinas”, não tive coragem de entrar na água. Achei um pouco perigoso e pelo que percebi, parece fundo. Portanto, é mais indicada para quem sabe nadar.  

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro - Piscinas Naturais da Barra da Lagoa

 

+ Dicas de passeios – Praia Mole e Projeto Tamar

Caso seu dia comece cedinho e sobre tempo, é possível incluir outras praias que ficam próximas da Barra da Lagoa como a Praia da Galheta, Praia Mole ou até mesmo conhecer o Projeto Tamar.

Mirante Ponto de Vista

Para fechar o dia com chave de ouro, de volta ao nosso chalé, no caminho vimos um mirante e fomos conferir a vista. Visto que as estradas em Florianópolis são recheadas de mirantes, o diferencial do Mirante Ponto de Vista é que este tem boa estrutura para turistas, com estacionamento (pago), além de algumas lojinhas, café e restaurante.

A vista é linda e eu adorei curtir o visual sentada em uma mesa no terraço do café. Por isso finalizei o dia realizada com a vista da Lagoa da Conceição.

O que fazer em Florianópolis - roteiro de 7 dias - mirante boa vista
Mirante Ponto de Vista

Dia 6  – centro de Florianópolis 

Almoço no Mercado Público

O penúltimo dia na Ilha da Magia foi reservado para conhecer o centro de Floripa. Por causa da previsão de chuva para o dia todo, não ia rolar praia.

Mesmo para aqueles que não curtem lugares mais urbanos, recomendo demais reservar pelo menos metade de um dia para visitar o centro histórico, que tem como uma das atrações principais o famoso Mercado Público, além da linda Praça XV de Novembro, entre outros pontos interessantes para ver de pertinho.

Como o tempo não estava muito bom, conhecer o Mercado Público caiu muito bem para o roteiro já que é uma atração coberta.

O Mercado Público de Florianópolis não é tão grande, mas tamanho não é documento. Eu e meu namorado adoramos o passeio, em especial nosso almoço em um dos restaurantes que ficam na parte interna. Comemos uma paella nota 10. Aliás, a área de alimentação é composta de um grande galpão recheado de mesas na parte central e bares e restaurantes em volta.

Dentre uma das atrações do Mercado Público, destaca-se o pastel de camarão, o do BOX 32 está classificado entre um dos melhores da ilha. Pastel + caldo de cana = combinação perfeita.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - roteiro - Mercado Público
Mercado Público

Praça XV de Novembro

Abastecidos depois do almoço, em seguida fomos conhecer uma outra atração do centro histórico, a linda Praça XV de Novembro, que tem uma figueira gigante e centenária como principal atração.

E pertinho, vale conferir a Catedral Metropolitana de Florianópolis e o Palácio Cruz e Sousa, que tem uma arquitetura bem bonita. 

O que fazer em Florianópolis - roteiro - centro da cidade
Figueira centenária na Praça XV de Novembro

Avenida Beira-Mar Norte

O plano era fazer uma caminhada no calçadão mais animado e agitado de Floripa, a Avenida Beira Mar, e terminar o passeio na Ponte Hercílio Luz. Mas como caiu um toró, tivemos que nos esconder em um café e no final, não rolou o passeio. Enfim, fica a dica para quem tiver mais sorte com o tempo.

A Avenida Beira Mar é um ótimo lugar para quem gosta de fazer caminhadas, andar de bicicleta e correr. Em resumo, perfeito para fazer atividades físicas, além da vista linda para o continente de um lado, e do outro os prédios do bairro que ficam situados em uma área nobre da ilha.

Ponte Hercílio Luz

É a ponte mais famosa de Floripa e um dos cartões postais da cidade. A Ponte Hercílio Luz foi inaugurada em 1926 e chama à atenção tanto de dia e noite quando fica toda iluminada.

Só para ilustrar, o melhor local para apreciar a linda ponte vista de pertinho, é no mirante de mesmo nome. Infelizmente, por conta da chuva não consegui ir, mas fica a dica. 

Dia 7

Bate e volta – Bombinhas

Sabe quando o plano surge de última hora? Então, foi assim com Bombinhas. A princípio, a ideia era voltar nas praias que mais curtimos em Floripa, mas depois de ouvir otimas recomendações sobre o local, resolvemos conferir. 

Bombinhas fica em torno de 1h30 de Florianópolis e pela proximidade fica fácil inclui-la em um roteiro de 7 dias. Saindo cedo, é possível passar a manhã e a tarde curtindo as lindas praias de lá. Eu por exemplo conheci duas, a Praia da Sepultura e a minha queridinha, a Praia da Lagoinha, que também é conhecida como praia dos peixinhos.

Tanto a praia da Sepultura como a da Lagoinha são famosas por conta dos vários peixinhos coloridos que animam os banhistas, além da ótima visibilidade da água. Portanto, ótima para snorkeling sem máscara.

Além dos peixes, também vi até tartarugas na Praia da Lagoinha. Sem contar que é um lugar lindo para tirar fotos.

Em resumo, Bombinhas tem praias lindas, inclusive as mais belas do estado se encontram lá. Além de curtir um banho de mar, também conta com boas opções de trilhas.

O que fazer em Florianópolis - bate e volta Bombinhas
Praia da Lagoinha em Bombinhas

Onde ficar em Florianópolis

O que não vai faltar na ilha são boas opções de hospedagem em vários lugares, de norte à sul. Mas na hora da escolha, é bom analisar tudo, pois para quem for depender de transporte público, ficar na parte sul por exemplo já não é uma boa ideia.

Dentre os principais locais para se hospedar em Florianópolis, destaca-se o centro da cidade, considerado a melhor região para quem estiver sem carro e que vai depender de transporte público para se locomover.

A Lagoa da Conceição é outro bairro que está entre um dos preferidos, e foi lá onde me hospedei, em um charmoso chalé alugado pelo Airbnb. Como fica em uma região bem centralizada, no centro da ilha, a facilidade para se locomover de um lado para o outro é muito mais pratica. 

Ainda não tem conta no Airbnb? Cadastre aqui e ganhe R$130,00 de desconto na sua primeira reserva

Já para quem procura por um local com mais opções de bares, restaurantes, etc, vale considerar a região central ou até mesmo Jurerê  Internacional e Praia dos Ingleses.

O que fazer em Florianópolis em 7 dias - onde ficar - chalé Airbnb

Dicas de hóteis e hostels em Florianópolis 

Informações úteis

  • Entre dezembro e fevereiro é alta temporada em Florianópolis. Como é verão, é a época mais agitada. Portanto, prepare-se para enfrentar trânsito caótico. A dica para aproveitar mais, é sair cedinho e voltar antes do horário de pico.  
  • Para quem pretende fugir da alta temporada, recomendo ir entre março e abril quando a ilha ainda oferece um clima quente e boas temperaturas para um banho de mar. Em virtude de ser famosa por conta das suas praias, evite os meses de inverno. Já os meses de setembro e novembro são os mais chuvosos.
  • Eu fui na segunda quizena de novembro e gostei muito da minha escolha, não se sei foi sorte, mas dos 7 dias que estive lá, peguei apenas 1 dia de chuva. 

Curtiram o roteiro? Se vocês já conhecem Floripa e tem alguma dica, deixe um alô nos comentários. 


***Receba mais dicas de viagens***


Comece a planejar sua viagem aqui

Continue planejando sua viagem usando um dos parceiros do blog. Se fizer sua reserva através dos links abaixo, eu ganho uma pequena comissão. Você não paga a mais por isso e ainda me ajuda a manter o blog.

Reserve seu hotel/hostel: faça sua reserva pelo Booking.com, site de hospedagem que garante os melhores preços em qualquer lugar do mundo. Além disso, muitos hotéis oferecem cancelamento gratuito.

Seguro Viagem: curta sua viagem sem preocupação adquirindo um seguro viagem. Lembrando que na Europa ele é obrigatório e nos Estados Unidos não existe saúde pública. Faça aqui sua cotação com a Seguros Promo e garanta os melhores preços. E olha que legal, você pode pagar em até 12x no cartão de crédito ou ter 5% de desconto no boleto.

Hospedagem: ganhe R$180 de desconto na sua primeira reserva no Airbnb, uma plataforma de aluguel de casas e apartamentos ao redor do mundo.

Aluguel de carro: alugue um veículo pela RentCars. Além disso, pague em até 12 vezes no cartão de crédito. E como é a cobrança é em reais, não tem taxa de IOF.

Ingressos: evite filas, compre ingressos com antecedência para atrações turísticas, excursões entre outros passeios pela Get Your Guide.

 

Leia também

Deixe um comentário

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Ao continuar utilizando o site, suponho que está tudo bem para você, Beleza, por mim tudo bem.