20 fatos e curiosidades sobre Veneza que você precisa saber

Classificada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a cidade mais romântica da Itália e uma das mais belas do mundo é daqueles lugares recheados de contrastes. Para uns é amor à primeira vista (meu caso), para outros, é apenas um lugar caro onde tem mais turistas do que moradores. Seja qual for sua opinião, o negócio é ir sem muitas expectativas e contemplar de pertinho o que essa cidade linda e rica em arte e história tem a oferecer. Confira aqui 20 fatos e curiosidades sobre Veneza.

“Veneza é como comer uma caixa inteira de bombons de chocolate com licor de uma só vez.”
– Truman Capote

1. Veneza é formada por ilhas

Veneza foi construída em um grupo de 118 pequenas ilhas que foram separadas por canais e que situam-se no meio de uma lagoa pantanosa (a Lagoa de Veneza) com saída para o Mar Adriático.

O interessante sobre a formação de Veneza é que várias dessas ilhotas foram criadas através da engenhosidade humana. A ideia genial foi expandir as porções de terra por meio de aterramento, ou seja, colocando terra sobre a água e unindo os pedaços de terra que estavam separados pelo mar. É por isso que a cidade tem tantos canais e é interligada por pontes.

E sobre o aterramento, não é de crer que até hoje os pilares de madeira que foram fincados nos pequenos pedaços de terra estão intactos depois de tantos anos? A engenhosa estrutura é o que sustenta até hoje a Ilha de Veneza.

Breve resumo: os troncos de madeira eram fincados na argila compactada e com essa junção os troncos ficavam como pedras e bem sustentáveis. E como não há contato com ar atmosférico, a madeira não se decompõe.

E mais uma curiosidade, vista de cima Veneza tem formato de peixinho.

Imagem de satélite de Veneza

2. São mais de 150 canais e 400 pontes

Mundialmente famosa pelos seus canais que servem como ruas em uma cidade onde não transita carros, Veneza tem nada mais nada menos que 177 canais e mais de 400 pontes.

O maior e mais importante canal de Veneza é o Grande Canal (Grand Canal), que corta boa parte da cidade e é uma das principais vias para o trânsito de barcos aquáticos e gôndolas.

São quatro pontes que atravessam o Grande Canal, a Ponte da Academia, Ponte dos Descalços e a Ponte da Constituição. E tem a Ponte Rialto, que é a mais antiga de todas, uma das principais, a que tem mais história e ainda conta com uma arquitetura lindíssima.

E vocês sabiam que a Ponte Rialto foi parcialmente queimada, já caiu pelo fato de está lotada de gente, depois foi reconstruída e caiu de novo, e por fim, foi construída com rochas pra aguentar a multidão de gente que passa por ela todos os dias? Com tanta história, ela é a queridinha dos turistas e é um dos cartões postais de Veneza.

E aproveitando o assunto, vocês sabiam que na Holanda tem uma cidade que parece ter saído de um conto de fadas que é conhecida como a “Veneza Holandesa“, o nome dela é Giethoorn. O vilarejo ficou famoso pelo fato de não ter ruas e assim como Veneza, é rodeada por canais e interligada por pequenas pontes charmosas.

Ponte Rialto

3. O símbolo da cidade é o leão

A bandeira da República de Veneza, também conhecida como a “Bandeira de São Marcos“, tem como símbolo um dos animais mais bravos e o mais forte das feras, um leão, que também é conhecido como o “Leão de San Marcos”.

O símbolo do leão tem uma história bem interessante que não vou aprofundar muito nos detalhes já que envolve religião (não sou uma boa entendedora no assunto). Apenas para resumir, ele é considerado uma representação de proteção e paz, e representa o evangelista São Marcos de uma forma simbólica. Além disso, o principal símbolo de Veneza representa um povo e não a cidade em si.

E por curiosidade, o corpo de São Marcos está guardado dentro da Basílica de São Marcos e na Praça São Marcos tem um leão de bronze que fica em uma coluna de frente com o Palácio Ducal.

“Se eu tivesse que encontrar uma palavra que substituísse “música”, eu só conseguiria pensar em Veneza.”
– Friedrich Nietzsche

Olha a bandeira de São Marcos

4. A Acqua Alta é motivo para colocar tudo no alto

Um fenômeno interessante que assusta o turista que vai para Veneza pela primeira vez e que atormenta os moradores, é o famoso “acqua alta”, que trata-se de uma maré alta que inunda algumas partes da cidade.

Pela localização nada favorável em caso de mudanças climáticas e com mais uma pitadinha da contribuição do homem em mudar o que a natureza criou, o que acontece é que como é cercada pelo mar, em algumas épocas do ano o vento forte sopra em direção a Veneza, levando uma maré alta para as partes mais baixas da cidade.

Como resultado, algumas partes de Veneza ficam alagadas pela maré alta por poucas horas e em casos mais graves, a maré pode inundar mais de 70% da cidade.

A maré alta ocorre com mais frequência nos meses de outono e inverno (geralmente entre novembro e dezembro) e, segundo outras fontes, a frequência do acqua alta está aumentando cada vez mais ao longo dos anos. A frequência passou de menos de 10 vezes por ano para mais de 60 vezes por ano.

E se você curte livros, em Veneza tem uma livraria pra lá de exótica que recebe o mesmo nome devido a sua decoração super diferente. Essa atração é a Libreria Acqua Alta, que está entre uma das livrarias mais belas do mundo e virou um ponto turístico em Veneza. Eu fui conhecê-la e fiquei encantada. Saiba mais aqui ⇓

Leia também: Livraria Acqua Alta em Veneza – um paraíso para quem ama livros

Acqua Alta na Praça São Marco – Créditos da Foto (Pixabay)

5. Milhões de turistas por ano

E a fama de uma das cidades mais importantes do mundo pela sua arte e arquitetura acaba atraindo milhares de turistas todos os dias seja na alta (verão) ou na baixa estação (inverno).

O fato curioso é que o número de turistas é quase igual ao número de habitantes. A cidade habita mais de 55 mil moradores e segura essa, mais de 50 mil turistas por dia. Com tantos turistas, não é a toa que Veneza está entre uma das cidades mais afetadas pelo turismo massivo.

Este turismo de massa é o que faz de Veneza uma cidade cara. Muitos restaurantes na parte mais turística da cidade cobram preços abusivos para o visitante experimentar as delícias da culinária italiana.

Olha a quantidade de turistas em pleno inverno

6. O famoso Carnaval Veneziano

Veneza ainda conta com seu famoso Carnaval, um dos mais antigos e tradicionais do mundo. O Carnaval Veneziano é uma festa onde as pessoas usam máscaras e saem para as ruas para foliar, relembrando a antiga nobreza italiana.

O Carnaval em Veneza surgiu em meados do século XVI. Na época, a nobreza usava máscaras para se disfarçarem e ir se misturar com o povão simples.

Com a tradição, o uso de máscaras (brancas, prateadas e douradas) virou um dos elementos mais importantes do Carnaval de Veneza que no passado tinha duração de 6 meses, mas que foi abolido por Napoleão.

Em 1979 a festa voltou, mas a duração foi encurtada e hoje o carnaval dura 10 dias e atrai milhares de turistas que vão as ruas disfarçados com trajes característicos do século XVIII e máscaras maravilhosas que foram ganhando novas cores ao longo dos anos.

Participar do Carnaval de Veneza está nos meus planos 🙂 e ao visitar a cidade você vai se deparar com várias lojinhas onde encontrará máscaras das mais variadas.

7. Os Venezianos também falam outra língua

A língua oficial é o italiano, mas em Veneza alguns venezianos também falam o vêneto (a variante falada em Veneza é chamada de veneziano), uma língua romântica que surgiu na região de Vêneto, mas que hoje é considerada como um dialeto do italiano.

A intenção das associações italianas é manter viva a língua vêneta na memória das pessoas, por isso é possível encontrar o vêneto em revistas e até mesmo filmes.

E vocês sabiam que no Brasil os imigrantes italianos também trouxeram o Vêneto para a Região Sul do país, mas aqui sua variante ganhou o nome de Talian.

8. Veneza já afundou mais de 20 centímetros

Devido à constante extração de água subterrânea, assim como a elevação do nível das águas e exploração de poços artesianos, as consequências dessas ações foi o afundamento de Veneza em função da compressão natural do solo.

Segundo estudos, os especialistas relatam que Veneza já afundou mais de 20 centímetros nos últimos anos e a cada ano afunda cerca de 2 milímetros por ano. É um pouco assustador ver uma das cidades mais belas do mundo construída pelo homem afundando lentamente, e as autoridades, assim como nós turistas, também estamos preocupados com o futuro dessa cidade encantadora.

9. Os moradores de Veneza estão diminuindo

Com o número massivo de milhares de turistas por dia, este turismo em alta virou um problemão para os moradores de Veneza que não estão nada contentes com a situação que já virou motivo de preocupação para o futuro de Veneza.

A população de Veneza está reduzindo de uma maneira drástica nos últimos anos e, alguns especialistas até mencionaram que Veneza é a cidade fantasma em 2030. Mas peraí, isso não quer dizer que a cidade vai sumir, mas o fato representa um risco para a população que pode desaparecer e os habitantes principais serão os turistas no futuro.

10. Barcos aquáticos como meio de transporte

Além do barco clássico veneziano, as famosas gôndolas, as principais embarcações em Veneza são os barcos aquáticos. Já que os canais servem como ruas, os barquinhos fazem a festa pelos canais da cidade e tem até rotas específicas para este tipo de transporte.

Os barcos motorizados, conhecidos como vaporettos está entre um dos principais meios de embarcações em Veneza, mas como nem tudo são flores, não é de crer que está entre um dos transportes mais caros do mundo. Uma corrida de vaporetto custa em média 7 euros para vocês terem uma ideia, mas em Veneza este é ainda o meio mais barato para se locomover.

Além dos vaporettos, também usa-se os barcos-táxis, que custam o olho da cara e é uma opção bem mais chique que é feita através de lanchas.

11. A palavra CIAO nasceu em Veneza

A palavra CIAO, que é uma das saudações mais usadas pelos italianos para dizer “oi” ou “dar tchau” tem origem veneziana.

No passado os venezianos diziam “s´ciavo vostro” para se referir “a vosso dispor” ou “a suas ordens”. No entanto, com o passar dos anos a expressão foi se encurtando e passou para s’ciavo até se tornar CIAO como nos dias de hoje.

Em resumo, “Ciao” é a forma reduzida da frase “lo sono suo schiavo”, que significa “Eu sou seu escravo”. Com o tempo a expressão foi conquistando outras regiões da Itália e hoje Ciao caiu na boa do povo e ganhou até uma variante no Brasil, o nosso famoso tchau tem origem veneziana e sua sonoridade é bem semelhante com a palavra CIAO em italiano.

Já contratou seu seguro viagem?

O seguro viagem é obrigatório nos países da Europa que fazem parte do Tratado Schengen, incluindo a Itália. Ressaltando que muitas vezes a imigração no aeroporto pode exigir a apólice do seguro no país de destino. E caso não tenha o documento, você corre o risco de ter a entrada negada no país.

Clique aqui e faça uma cotação online na Seguros Promo. Site que compara os preços e coberturas das principais seguradoras do mundo (recomendo). Encontre os melhores preços e pague em até 12 vezes no cartão de crédito. E os leitores do blog ganham 5% de desconto usando o código TURISTANASNUVENS

12. Veneza pode ter um cheiro desagradável no verão

Visitei Veneza em pleno inverno e não senti nenhum cheiro ruim na minha visita. No entanto, a cidade tem a fama de ser fedida nos dias de verão. Segundo outras fontes, o cheiro desagradável é mais um mito do que verdade.

O que acontece é que durante os dias mais quentes de verão ou quando a cidade sofre de falta de chuva durante um bom tempo, as marés diminuem e como consequência as algas da laguna acabam entrando em contato com a atmosfera, causando sua deterioração e deixando um mau cheiro.

13. As gôndolas como principal símbolo de Veneza

O passeio de gôndola está entre um dos mais procurados pelos casais apaixonados que visitam uma das cidades mais românticas da Itália.  No entanto, como um principais símbolos de Veneza, este passeio pode custar o olho da cara se o seu orçamento é curto.

Confesso que não tive a curiosidade de fazer o passeio, afinal, não achei tão romântico pagar 80 euros por pessoa para um passeio de 30 minutos. Se algum dia eu voltar com o namorado, talvez mude de ideia.

Mas você deve está se perguntando, como é caro. Sim, mas vocês sabiam que não é uma tarefa fácil se tornar um gondoleiro? Antes de entrar em uma gôndola para conduzir os turistas, os gondoleiros passam por um treinamento rigoroso de mais de 400 horas. Todos têm que passar por um exame onde conta com questões sobre a história veneziana.

O interessante é como as gôndolas são construídas, cada gôndola é feita de oito madeiras diferentes e tem em média 11 metros de comprimento. E tem capacidade para transportar até 6 pessoas.

Nos dias de hoje as gôndolas são usadas apenas por turistas, para eventos especiais como casamentos e cerimônias especiais, e até mesmo para funerais.

14. Veneza é uma das cidades mais vulneráveis à elevação do mar

O futuro de Veneza é motivo de preocupação segundo os especialistas que alertam que a cidade tem o risco de ficar submersa sobre a água até 2100.

Como fica situada em uma lagoa com saída para o Mar Adriático e com toda a situação instável do clima, devido ao aquecimento global, a elevação nível do mar só tende a subir mais rápido no futuro.

Socorro!! Mãos saindo do Canal Grande como forma de conscientização sobre o Aquecimento Global

15. A cidade de Las Vegas tem uma réplica de Veneza

Em Las Vegas encontra-se um dos hotéis casinos mais luxuosos da cidade que é uma réplica de Veneza. O Hotel Venetian foi inaugurado em 1999 e tem pontes e até canais construídos em torno dele. E para a alegria do turista, ainda conta com passeio de gôndola.

Eu conheci o Hotel Venetian em 2013 (antes de ir para Veneza) e, na época, confesso que fiquei encantada com toda a decoração do hotel que é lindo tanto na parte externa como seu interior, um dos mais belos que já conheci.

A arquitetura do Venetian é tão impressionante que o hotel fez recriações como a Ponte Rialto, a Praça de São Marcos e até o Grande Canal.

Hotel Venetian em Las Vegas

16. As pracinhas de Veneza são chamadas de Campos

A Praça de São Marcos ou Piazza San Marco em italiano é a única praça da cidade, uma das principais e o ponto turístico mais importante de Veneza. As demais pracinhas são chamadas de “campo”, como o Campo San Polo e o Campo Santa Margherita.

Praça São Marco

17. Veneza tem seis bairros

Veneza abriga 6 bairros, chamados de “sestieri” em italiano, são eles: San Marco, Castello, Cannaregio, Santa Croce, San Polo e Dorsoduro. É no bairro San Marco onde encontra-se boa parte das atrações da cidade como a Praça de São Marcos e a Basílica de mesmo nome, a Ponte dos Suspiros e o Palácio Ducal.

18. O cemitério de Veneza fica em uma ilha

E se você gosta de conhecer lugares fora dos padrões turísticos, em Veneza, um dos passeios turísticos também incluem uma visita a Ilha de São Miguel, onde fica o cemitério da cidade. Eu já fiz este tipo de passeio em Buenos Aires, visitei o Cemitério da Recoleta e achei bem interessante, mas em Veneza acabou não sobrando tempo.

A Ilha de São Miguel (ou San Michele em italiano) fica entre Veneza e Murano e a ilha virou cemitério da cidade em 1807.

E como tudo é feito através de barquinhos, os finados que descansam são transportados em gôndolas funerárias para a ilha que assombra algumas pessoas.

Ilha de São Miguel – Créditos da foto (Pixabay)

19. Os pratos típicos de Veneza

Os pratos típicos de Veneza incluem muitos frutos do mar e peixes, os principais que são encontrados nos restaurantes são:

  • Zuppa Pesce: sopa de peixes
  • Nero di Seppia com spaghetti: é feito com a tinta da lula que pode ser servido com pasta ou polenta, eu experimentei e confesso que não me agradou muito. A cor da tinta é preta e para quem quiser experimentar algo diferente, fica a minha dica;
  • Baccalá Montecato: um patê que pode ser servido com pão ou polenta;
  • Sarde in Saur: uma das especialidades da culinária veneziana, trata-se de um antipasto a base de sardinhas com camadas de cebolas e banhados com vinagre.
Este negócio preto é Nero di Seppia (com macarrão)

20. Taxa de coberto – pegou uma mesa, pagou pelo serviço

Alerta: e para não cair na mesma cilada que eu, quando visitar Veneza, lembre-se que a maioria dos restaurantes/cafés cobram uma taxa apenas para você ter o privilégio de sentar em uma mesa.

Vi na vitrine de um café um chocolate quente pelo custo de em torno 3,5 euros (não me lembro o valor exato). Feliz com o valor, entrei no estabelecimento e nos foi oferecido uma mesa, na hora de pagar, a surpresa, o chocolate quente que custaria 3,5 euros (valor para viagem) foi cobrado o dobro, quase 8 euros (fiquei revoltada com o preço abusivo).

Atente-se aos preços abusivos e lembre-se: pegou uma mesa, pronto, pagou pelo serviço. No entanto, isso existe na Itália toda. O nome é “taxa de coberto”, que é a taxa de serviço para sentar dentro. Como turista de primeira viagem, não sabia deste detalhe e acabei pagando caro por um chocolate quente meia boca.

Onde se hospedar em Veneza?

Escolher um local barato e bem localizado em Veneza não é uma das tarefas mais fáceis e requer uma boa pesquisa já que a cidade é um verdadeiro labirinto e pode ser um desafio para quem estiver com muitas malas.

Eu optei em me hospedar em Veneza Mestre, que fica no continente e está entre uma das regiões mais baratas para ficar em Veneza. Fiquei no AO Hotel Venezia Mestre, um hotel bem localizado que fica perto da estação de trem de Veneza Mestre e que oferece quartos compartilhados por um bom custo-benefício.

O AO Hotel Venezia Mestre conta com uma linda decoração, é limpinho e tem um café (buffet) que é bem elogiado pelos hóspedes.

Para mais opções, preparei um post especial com dicas de hotéis e melhores regiões para se hospedar em Veneza gastando pouco. Aqui você encontrará um breve resumo do que encontrar em cada bairro da cidade e dicas de hospedagem ⇓

Leia também: Onde ficar em Veneza gastando pouco: melhores regiões e hotéis

Recepção do AO Hotel Venezia Mestre

Com tanta beleza e fatos curiosos, visitar Veneza é como uma volta ao tempo, mesmo com o turismo em massa, parece que a cidade parou no tempo. Ô cidade para ser fotogênica.

Conta para mim nos comentários, já visitou uma cidade tão diferentona e recheada de contrastes como Veneza? Qual dos fatos curiosos te chamou mais a atenção? Eu fiquei apenas 2 dias em Veneza, mas tá aí uma cidade que eu voltaria sem dúvida.

Leia também: O melhor de Milão em 1 dia: roteiro, dicas de passeios, onde ficar e muito mais


***Receba mais dicas de viagens***


Gostou do post? Se sim, aproveita para ajudar essa turista que tanta ama viajar a manter o blog e continuar dando dicas de viagens e muito mais. É bem simples? Para reservar qualquer hotel com vários destinos ao redor do mundo, a dica é o Booking.com. Ao fazer sua reserva por um dos banners do blog ou por este link abaixo, você não gasta nenhum centavinho a mais por isso e ainda me ajuda com uma pequena comissão. Abraços e até a próxima. Josiane Bravo

Booking.com


Digite seu e-mail e receba gratuitamente nossas novidades

10 Replies to “20 fatos e curiosidades sobre Veneza que você precisa saber”

  1. […] 20 fatos e curiosidades sobre Veneza que você precisa saber […]

  2. Josiiiiii!!! Adorei esse post! Adorei, muito bom saber sobre mais sobre os lugares. Caramba, 150 canais? Jamais imaginaria!

    1. Oi Luiza, muito obrigada 🙂 São muitos canais não é, não é a toa que Veneza é uma cidade única no mundo (assim como Amsterdam e seus canais e casinhas fofas).
      Abraços

  3. Concordo com voce: que cidade fotogênica! Adorei as curiosidades, elas dão uma graça a simplesmente ver os pontos turisticos, sem conhecer sua história!

  4. Preocupa-me o excesso de turistas e a diminuição da população local. Mas Veneza é, sem dúvida, uma cidade ÚNICA no Mundo, com beleza ímpar…

    1. Oi Rui, é uma situação realmente preocupante, espero que isso não aconteça 🙁

  5. Simplesmente amei esse post. Pra mim, Veneza é a cidade mais linda e inspiradora do mundo. E fiquei encantada com tantas curiosidades sobre a cidade. Não tinha nem ideia que a palavra CIAO foi inventada lá. Demais! Bateu uma saudade…

    1. Muito obrigada Alessandra. Veneza é uma cidade linda e fotogênica, e ainda conta com uma história tão rica em detalhes. Sempre que escrevo um post novo me bate uma saudade também hehe.
      Abraços 🙂

  6. Gostei muito do post! Super completo e com curiosidades bem interessantes. Já fui a Veneza duas vezes e nunca me liguei que tinha formato de peixinho. Show! Coincidências da vida: me hospedei no mesmo hotel. 😊😊😘

    1. Muito obrigada Regina 🙂 Hehehe, eu só fiquei sabendo disso depois da minha viagem. Seria mais interessante se eu já soubesse essas curiosidades antes.
      Haha, boa coincidência não é. Fiquei curiosa em saber se você gostou do hotel assim como eu 😉
      Abraços

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: